quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

A TRANSIÇÃO PLANETÁRIA Pelo Grupo de Estudos Ramatis





O que é a Transição?

Transição Planetária, Juízo Final, Final de Tempos, é um balanço de fim de era ou a mudança de ciclo evolutivo. Tudo na natureza obedece a ciclos da vida: nasce, cresce, alcança a plenitude, envelhece e morre. Morrer não é bem o termo, pois como dizia Lavoisier "na Natureza nada se cria, nada se destrói, tudo se transforma". Assim, a Terra no momento está vivendo um período de mudanças, isto é, passando de um ou ciclo para outro, o que resultará em grandes transformações, tanto na parte física como na moral de seus habitantes.

O que ocorre com o corpo físico?

Nós vivemos na 3ª dimensão, uma dimensão que constitui uma densidade corporal mental e emocional que impõe uma série de restrições físicas, e fazem com que os nossos corpos sintam determinadas emoções e distúrbios, pela lentidão da circulação da energia psico-elétrica nos canais de força. Quando as vibrações dos corpos vão se acelerando em saltos quânticos, a pessoa começa a vibrar numa freqüência mais sutil do que a 3ª dimensão. É um processo individual em que cada pessoa se aprimora, se educa, controla os pensamentos, as emoções e começa a vibrar numa freqüência mais sutil.

Como será essa passagem?
Essa passagem vai ser iniciada quando o setor do nosso sistema solar, junto à nossa galáxia, passar por um portal dimensional. A Terra se prepara para ascender à 4.ª dimensão. Quando o nosso planeta passar por esse portal dimensional, tudo que existe na superfície da 3ª dimensão irá para a superfície da 4ª dimensão, e da 4ª dimensão irá para a 5ª, e assim sucessivamente, inclusive os seres humanos.

Quem será retirado?

Quando houver a passagem dimensional, a maioria dos habitantes da Terra não suportará a vibração. Os espíritos sombrios, trevosos, que têm prazer no mal, no egoísmo, no destrutivismo, não suportarão as energias da 4ª dimensão, porque é uma energia tão alta que produziria como que choques eletromagnéticos no corpo físico das pessoas, que provocariam a morte instantânea por desintegração. Para que isso não aconteça, aqueles que não estiverem sujeitos a passar pelas severas provas, serão retirados e colocados em local seguro pelos seres vindos de outros planetas, constelações, galáxias e até mesmo universos, que por amor estão aqui para ajudar os irmãos mais atrasados, que somos nós aqui do planeta Terra; para nos ensinar o respeito às leis superiores, procurando não interferir diretamente nas nossas ações, porque sabem que temos o livre-arbítrio, nosso carma e as nossas escolhas.

Como devem se comportar as pessoas?

Muitas pessoas ao tomarem conhecimento da transição deixam de viver as realizações assumidas antes da encarnação, esperando a transição planetária aconteça. É um aspecto negativo, porque a intenção não é impedir que as pessoas vivam ao saber que grandes transformações irão marcar as suas vidas. A intenção é aliviar a dor, dando-lhes a consciência de que um mundo muito melhor do que esse que estamos vivenciando no momento irá surgir no futuro muito próximo, futuro que a nova geração irá viver, e para que as pessoas possam também ter a oportunidade de não desperdiçar o tempo em coisas puramente materiais, como aqueles que encarnaram no passado tiveram.

domingo, 1 de fevereiro de 2015

O VATICANO E OS EXTRATERRESTRES... PREPARANDO AS OVELHAS PARA A GRANDE REVELAÇÃO



Falar sobre vida extraterrestre sempre desperta nosso imaginário e vemos reações diversas entre as pessoas. O fato é que as informações na mídia são tão desencontradas que grande parte da população não sabe no que acreditar.


Por outro lado, parece que algo está mudando rapidamente nesse cenário e o próprio Vaticano está tomando a frente em revelações significativas. Dá a impressão de que algo muito grande está para acontecer e que o Vaticano participa ativamente desse acontecimento.

Francisco é o primeiro jesuíta a ocupar o papado e os jesuítas são famosos por pertencerem a uma elite dentro da Igreja, voltada aos estudos da ciência. São homens que, por norma, não têm apenas a formação teológica, mas também outras. São médicos, físicos, astrofísicos, engenheiros, etc.


O próprio papa é formado em Engenharia Química. Desde 2008 a igreja trabalha a ideia de que os extraterrestres são nossos irmãos e na existência de outros seres inteligentes criados por Deus. Isso não vai contra a fé cristã, pois o próprio Cristo já falava que “na casa de meu Pai existem muitas moradas” e “meu reino não é deste mundo”.

Os jesuítas administram dois grandes observatórios estelares; um em Castel Gandolfo, a 30 km do Vaticano, onde os papas se hospedam durante o verão, e outro no Monte Graham, Arizona-EUA. Esse último possui um dos mais poderosos e avançados telescópios do mundo, com câmeras super-resfriadas infravermelhas conhecidas como LTB (Large Binocular Telescope). Para termos uma ideia, esse telescópio tem uma resolução 10 vezes maior que o telescópio espacial Hubble.

Outro jesuíta, Guy de Colsomagno, um dos líderes da preparação científica para a divulgação de vida extraterrestre, medalha de ciência Carl Sagan da Sociedade Americana de Astronomia, é um dos conselheiros habituais do papa Francisco.

Ralcoh Comunicação – www.ralcoh.com.br – (11) 3257.4741. Essa abertura do Vaticano para a discussão da vida extraterrestre não é apenas um acidente. É uma estratégia bem definida que começou em 2008 com o padre José Funes, à época, diretor do observatório de Castel Galdolfo, e vem tomando corpo a cada ano. Na verdade, é uma política de abertura que vem sendo adotada pelas Nações Unidas.

O ex-ministro da Defesa do Canadá, Paull Hellyer, declarou durante uma audiência pública em Washington (EUA) que os UFOS são tão reais quanto os aviões que voam sobre nossas cabeças. Dentro dessa estratégia, o Vaticano tem um papel preponderante na preparação do mundo católico para a divulgação da existência de vida extraterrestre.

Não fiquem surpresos se, no futuro, tivermos uma declaração oficial sobre um contato com uma cultura alienígena. Essa posição não é uma exclusividade do Vaticano, mas, através dele, o diálogo global com as massas fica mais fácil.

O Vaticano, através dos jesuítas, está desempenhando um papel construtivo na preparação do público para suportar essa revelação. Vamos acompanhar com atenção e seriedade os próximos desdobramentos desse evento.

Célio Pezza,Especial para Diário da Manhã

Fonte:http://www.dm.com.br 

VEJA O VÍDEO ABAIXO

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

CONSCIÊNCIA E ELETROMAGNETISMO... LEI DE CAUSA E EFEITO... AÇÃO E REAÇÃO


Todo ser é um campo eletromagnético. Emana e atrai.  É uma coisa simples de entender e difícil de aceitar. E essa dificuldade é a fonte de todos os problemas e sofrimentos.

O tempo todo isso acontece e não há como evitar isso. Estamos imersos num gigantesco campo eletromagnético. Tudo que foi emanado mais cedo ou mais tarde voltará multiplicado.

Isso também pode ser explicado como: semeou colheu, causa e efeito, ação e reação, etc.

Quando uma pessoa entende isso a solução dos seus problemas está a caminho. No devido tempo tudo será solucionado. Para esse campo não existe tempo nem espaço. É aí que entra a eternidade. Tudo é energia e tudo tem um campo eletromagnético. Todos somos feitos de átomos. Energia nunca desaparece. Só se transforma. Portanto, um campo energético é eterno. Isso significa que biologicamente podemos trocar de forma n vezes, que continuaremos existindo na nossa energia inicial. Essa energia inicial contém toda a informação desde sempre. Tudo no universo é energia e informação. Essa energia emana informação e atrai informação. Da mesma forma que atrai mais energia. Na mesma frequência que emanou. Toda energia vibra numa determinada frequência.

Posto isto é fácil aceitar a reencarnação. O corpo morre mas a informação e energia permanecem. Portanto, tudo que foi emanado permanece e continua atraindo. Pode-se ter outro corpo ou não, a emanação e atração continuam. Ad aeternum.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

COMO SE HÁ DE RESISTIR ÀS TENTAÇÕES




Enquanto vivemos neste mundo, não podemos estar sem trabalhos e tentações. Por isso lemos no livro de Jó (7,1): É um combate a vida do homem sobre a terra. Cada qual, pois, deve estar acautelado contra as tentações, mediante a vigilância e a oração, para não dar aza às ilusões do demônio, que nunca dorme, mas anda por toda parte em busca de quem possa devorar. Ninguém há tão perfeito e santo, que não tenha, ás vezes, tentações, e não podemos ser delas totalmente isentos.
    
São, por tanto, utilíssimas ao homem as tentações, posto que sejam molestas e graves, por que nos humilham, purificam e instruem. Todos os santos passaram por muitas tribulações e tentações e com elas aproveitaram; aqueles, porém, que não as puderam suportar foram reprovados e pereceram. Não há Ordem tão santa nem lugar tão retirado em que não haja tentações e adversidades.

Nenhum homem está totalmente livre de tentações, enquanto vive, porque em nós mesmos está a causa donde procedem: a cobiça e o apetite sexual em que nascemos. Mal acaba uma tentação ou tribulação, outra sobrevém, e sempre teremos que sofrer, porque perdemos o dom da primitiva felicidade. Muitos procuram fugir às tentações, e outras piores encontram. Não basta a fuga para vencê-las; é pela paciência e verdadeira humildade que nos tornamos mais fortes que todos os nossos inimigos.

Pouco adianta  quem somente evita as ocasiões exteriores, sem arrancar as raízes; antes lhe voltarão mais depressa as tentações, e se achará pior. Vencê-las-á melhor com o auxílio de Deus, a pouco e pouco com paciência e resignação, que com importuna violência e esforço próprio. Toma com frequência conselho na tentação e não sejas rude, áspero, insolente para o que é tentado, trata antes de o consolar como desejas ser consolado.

 O princípio de todas as más tentações é a inconstância do espírito e a pouca confiança em Deus; pois, assim como as ondas lançam de uma parte a outra o navio sem leme, assim as tentações combatem o homem descuidado e inconstante em seus propósitos para com Deus. O ferro é provado pelo fogo, e o justo pela tentação. Ignoramos muitas vezes o que podemos, mas a tentação manifesta o que somos. No entanto, devemos vigiar, principalmente no princípio da tentação; porque mais fácil nos será vencer o inimigo, quando não o deixarmos entrar na alma, enfrentando-o logo que bater à porta de nossa mente. Por isso disse alguém: Resiste desde o princípio, que vem tarde o remédio, quando cresceu o mal com a muita demora (Ovídio). Porque primeiro ocorre à mente um simples pensamento, donde nasce a importuna imaginação, depois o deleite, o movimento; e assim, pouco a pouco, entra de todo na alma o malvado inimigo, porque se lhe não resistiu a princípio. E quanto mais alguém for indolente e desatento em lhe resistir, tanto mais fraco se tornará cada dia, e mais forte o seu adversário.

Uns padecem maiores tentações no começo de sua conversão, outros, no fim; outros por quase toda a vida são molestados por elas. Alguns são tentados levemente, segundo a sabedoria da Divina Providência, que pondera as circunstâncias e o merecimento dos homens, e tudo predispõe para a salvação de seus eleitos.

Por isso não devemos desesperar, quando somos tentados; mas até, com maior fervor, pedir a Deus que se digne ajudar-nos em toda provação, pois aquele que, no dizer de São Paulo, nos dará graça suficiente na tentação para que a possamos vencer (1Cor10,13). Humilhemos, portanto nossas almas, debaixo da mão de Deus, em qualquer tentação e tribulação porque ele há de salvar e engrandecer os que são humildes de coração.

Nas tentações e nas adversidades se vê quanto cada um tem aproveitado; nelas consiste o maior merecimento e se patenteia melhor a virtude. Não é lá grande coisa ser homem devoto e fervoroso quando tudo lhe corre bem, mas, se no tempo da adversidade conserva a paciência, pode-se esperar grande progresso. Alguns há que vencem as grandes tentações e, nas pequenas, caem frequentemente, para que, humilhados, não presumam de si grandes coisas, visto que com tão pequenas sucumbem.

QUE É CURA PELO ESPÍRITO?


O mundo não tem necessidade de uma nova religião, nem uma nova filosofia.
O que o mundo necessita é de cura e renovação. O mundo necessita de homens que, pela sua entrega a Deus, sejam tão repletos pelo Espírito que possam tornar-se instrumentos pelos quais outros sejam curados; porquanto a cura é importante para todo homem. (...)

(...) Quase que somos levados a crer que a medicina, dentro do próximo meio século, consiga debelar todas as doenças físicas até hoje conhecidas, de maneira que pouco serviço sobraria para os curadores espirituais, no plano dos males corporais.

Entretanto a medicina não resolverá os problemas da vida humana e do mundo - e isto pela razão precípua por que o problema da humanidade não é, propriamente, um problema de doença. A doença é apenas um dos numerosos aspectos criados pelas desarmonias e dissonâncias da vida. O progresso da medicina não suplantará jamais a necessidade de cura pelo espírito; não creio que, mesmo que a cura física seja eficiente, os seus processos curativos consigam revelar ao homem a sua própria alma. Isto será tarefa do curador espiritual. Porquanto, faremos a experiência de que o homem continuará a sofrer todas as dissonâncias de caráter físico, mental, moral e financeiro. O homem não possuirá ainda paz em si mesmo. (...)

(...) A redenção do mundo pela cura espiritual virá, em última análise, através de um homem individual, tu e eu, aqui e acolá, através dos frutos da vida de alguém que leve um amigo ou conhecido a buscar compreensão espiritual, compreensão que, por fim, se estenderá até o mais distante habitante da rua, até que também ele resolva fazer o mesmo.

Cada homem individual é um fiozinho nessa trama, um elo nessa cadeia. Cada um é um raio parcial dessa luz universal. Ninguém pode ser mais do que isto. Um é usado aqui, outro acolá. Cada um contribui com a sua parcela para completar o Todo. Toda a vez que se realiza uma cura, em ti ou em outro, é um benefício para a humanidade. Cada cura individual aproxima o mundo do recolhimento da luz espiritual. (...)

(...) Essa transformação depende da tua irrestrita entrega a Deus, através do teu pensar, meditar e amar. (...)

Do Livro a Arte de Curar pelo Espírito
Joel S. Goldsmith

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015


A ARTE DE CURAR PELO ESPÍRITO

(...) Ninguém pode encontrar saúde externa enquanto não encontrar uma querência, um lar interno em Deus.

Ninguém alcança plena satisfação, mesmo em boa situação econômica, enquanto não encontrar a sua  comunhão interna com Deus.

A televisão não pode satisfazer a alma do homem.

Futebol e beisebol não são caminhos para encontrar a paz e a boa vontade entre os homens, aqui na terra. Não há nada de mal nestas coisas; elas têm o seu lugar e razão-de-ser - mas nunca ninguém encontrou harmonia duradoura em jogos, danças ou televisão.

O homem só encontra verdadeira harmonia em seu ser quando encontra Deus, quando entra em uma comunhão interna com algo maior do que ele mesmo. E isto é a sua cura verdadeira e permanente. É essa a cura que o mundo busca. É está a cura que o mundo busca. E é por esta razão que sempre resta um desassossego e uma insatisfação, mesmo que, neste momento, fossem resolvidas satisfatoriamente todas as tuas condições econômicas e relações sociais e fosses liberto de qualquer enfermidade física e psíquica. Por mais que seja a alegria que a tua família te dê - quando, à noite, te retiras, te sentirás solitário, porque há em ti algo que tem saudades de casa, algo que deseja integração em um outro lar. (...)

(...) Cura espiritual é o contato do espírito de Deus com o do homem; a alma, quando tocada pelo espírito divino desperta para uma nova dimensão da vida, uma dimensão espiritual - e "onde reine o espírito de Deus, aí há liberdade". Isto não quer dizer que o espírito de Deus atue como medicina, como uma aplicação elétrica ou como uma operação, mas porque o espírito de Deus eleva o homem a uma nova consciência da vida; a um estado de consciência que o divino Mestre denomina "o meu reino, que não é deste mundo". Quando o homem atinge esse estado de consciência vive ele em uma nova dimensão da vida, além do estado tridimensional conhecido e faz experiências totalmente desconhecidas no plano comum da vida humana. É esta a meta que a humanidade demanda, embora não saiba nitidamente  qual seja essa meta e quais os métodos que a ela conduzem. (...)

Do Livro A Arte de Curar pelo Espírito
Joel S. Goldsmith

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...